Fórum voltado a palavra de Deus


    Resenha OS PADRES E A INCULTURAÇÃO

    Compartilhe
    avatar
    josué

    Masculino Número de Mensagens : 43
    Data de inscrição : 09/07/2008

    Resenha OS PADRES E A INCULTURAÇÃO

    Mensagem  josué em Sex Set 04, 2009 3:05 pm

    OS PADRES E A INCULTURAÇÃO

    PADOVESE, Luigi. Introdução a Teologia Patrística. SP: Loylola,
    2ª edição, 1992
    ________________________________________________________________________________________

    Luigi Padovese nasceu em Milão em 1947, é professor de história da Espiritualidade e leciona no instituto de Espiritualidade do Pontifício Ateneu Antonianun, do qual é Diretor e na Pontifícia Universidade Gregorian. Entre suas últimas publicações, merecem destaque Turquia. I Iuoghi delle origini Cristiane. Casele, Piemme,1978: Lo scandalo dellla Croce. La polemica anticristianina Nei primi secoli, Bolonha, Dehoniane, 1988; Massimo di Torino. Sermoni, Casale, Piemme, 1989: i sacerdoti dei primi secoli, Casale Piemme, 1992.
    A obra de Padovese aqui resenhada é resultado de um profundo trabalho de pesquisa feito pelo autor a respeito dos Padres e a Inculturação, antes de ser um programa, exprime um dado de fato: a realidade de um cristianismo que, no decurso dos séculos, procurou expressar-se em diferentes linguagens, mesmo defendendo uma sentença difícil de aceitação, tanto internamente como no diálogo extra, ou seja, “ a salvação vem dos judeus ” (Jô 4:22).

    No desenvolvimento do assunto Luigi Padovese tenta mostrar que a história ensina que a Incultuaração se tornou um compromisso consciente e, como tal foi projeto de particular atenção no recente documento Pontifício, no qual, de modo descritivo, ela é definida como a intima transformação dos autênticos valores culturais mediante a integração no cristianismo e o enraizamento do mesmo nas diversas culturas.

    O autor continua sua linha de raciocínio vendo necessário no processo de inculturação um entendimento extensivo a todo o universo simbólico dos diferentes povos com os quais o evangelho entra em contato. A inculturação é um fato histórico e não uma aproximação de princípios temporais. Ela não se verifica entre sistemas ou ideologias, mas entre pessoas e se ressente da realidade destas: experiências passadas, cultura , tipo de vida...

    Em seu comentário ele nos apresenta o surgimento de varias heresias na Igreja da circuncisão como uma prova de que a inculturação aconteceu perifericamente ou foi apenas parcial, porque a exculturação que a fé no Crucificado, não fora completa ou não acompanhara o desenvolvimento doutrinal subseqüente. Essa exculturação comportava a superação do orgulho nacionalista judeu: era preciso começar a crer que a salvação não estava ligada nem à raça nem à lei de Moisés, mas unicamente à fé em Cristo morto e ressuscitado ( Rm 4:23 – 25 ), diante do qual judeu e gentio estão no mesmo plano.

    Em seguida, o autor demonstra ter realizado uma boa fonte de pesquisa a respeito dos “Padres e a Inculturação”. O livro de Luigi Padovese, agora traduzido por Orlando S. Moreira, quer honrar esses gigantes, destacando a grande contribuição destes para a fé cristã, com relação à doutrina, à vida eclesial e a modalidade do anúncio missionário. O livro traz anexo um valioso quadro cronológico editado pelo padre Gervais Dumeige. S.J., para melhor entendimento do leitor, numa linguagem simples e objetiva. O propósito do livro certamente foi concretizado a contento.

    Este livro se destaca pela sua originalidade, seu objetivo e procura alcançar sua meta de ser, como o próprio autor diz em um trecho da introdução; “ Os padres continuam a ter um papel subsidiário, jamais substitutivo”. Ou seja, “eles não nos dirão o que Deus espera agora de nós, não nos eximirão da decisão que nos é exigida diante da Revelação, não nos libertarão de nossa liberdade muito pessoal”.

      Data/hora atual: Sex Nov 17, 2017 1:14 pm